Presidente da Anoreg/RJ fala sobre as ações que resultaram na conquista do Prêmio Nacional




A Associação de Notários e Registradores do Brasil (Anoreg/BR) promoveu, pela primeira vez, o Prêmio Nacional das Anoregs – PNA no ano passado. A premiação foi realizada juntamente com a etapa nacional do Prêmio de Qualidade Total Anoreg – PQTA.


Para participarem do prêmio, as 27 Anoregs da federação passaram por auditoria realizada pela Apcer Brasil, empresa do Grupo Apcer, organismo referência no setor de certificação.


A Anoreg vencedora nas categorias Melhor Anoreg Sudeste e Anoreg Diamante foi a Associação de Notários e Registradores do Estado do Rio de Janeiro (Anoreg/RJ), fundada em 1996.


A Anoreg/BR conversou com o presidente da Anoreg/RJ, Renaldo Andrade Bussière sobre as ações que resultaram na conquista da premiação. Segundo ele, os dois prêmios conquistados representam o reconhecimento da entidade “como uma Associação proativa, de cooperação com as demais entidades de classe, que desenvolve projetos sociais e parcerias em prol da sociedade civil do Rio de Janeiro.”


“Particularmente, fiquei muito feliz pois premia os nossos esforços de tornar a Anoreg /RJ em um exemplo de instituição associativa e representativa dos notários e registradores do Rio”, concluiu.


O presidente afirmou que o Prêmio Nacional das Anoregs confirma “que os projetos de inovação, tecnologia, compliance e sociais devem fazer parte do escopo de uma associação que representa os serviços extrajudiciais.”


Com a criação do Curso de Mediação em 2016, a Anoreg/RJ tornou-se uma Escola de Mediação. Além disso mantem a Escola de Notários e Registradores do Estado do Rio de Janeiro, a Enoreg/RJ. Para Bussière, esses dois fatores, somados ao fato de a entidade estar em conformidade com todos os itens solicitados como questões trabalhistas, alvarás e de ter normas de gestão, levou a entidade ganhar nas categorias Melhor Anoreg Sudeste e Anoreg Diamante.


A Anoreg/RJ também mantem a Anoreg Mulher. Desenvolvida em 2020, tem o objetivo de tornar todos os cartórios pontos de acolhimento e auxílio para mulheres em situação de vulnerabilidade por conta da violência doméstica. O projeto foi ganhando corpo com seminários, lives e workshops além da participação ativa nas mídias sociais. Com direção da tabeliã Vanele Falcão, a Anoreg Mulher firmou-se como um espaço de representatividade de todas as tabeliãs e registradoras.


Fonte: Assessoria de Comunicação Anoreg/BR