Conselho Nacional de Justiça inicia inspeção no TJRJ



Da esquerda para direita: desembargador José Carlos Maldonado de Carvalho (TJRJ); desembargador Luís Paulo Aliende (TJSP); ; desembargador Carlos Vieira Von Adamek (TJSP/CNJ); ministra Maria Thereza de Assis Moura (STJ/CNJ); desembargador Henrique Carlos de Andrade Figueira; desembargador Ricardo Rodrigues Cardozo; desembargadora Márcia Regina Dalla Déa Barone (TJSP); E desembargador Marcus Henrique Pinto Basílio

O Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro recebe, a partir desta segunda-feira (21/3), a equipe do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), por meio da Corregedoria Nacional de Justiça, que realizará a inspeção para verificação do funcionamento dos setores administrativos e judiciais de primeiro e segundo graus do TJRJ e das serventias extrajudiciais. A agenda de trabalho será cumprida até a próxima sexta-feira (25/3).

As inspeções serão realizadas das 9h às 18h, e a presença da equipe do CNJ não interferirá no curso normal das atividades forenses e nos prazos processuais, os quais seguirão normalmente.


Presente na cerimônia de abertura, a ministra do Superior Tribunal de Justiça e corregedora Nacional de Justiça, Maria Thereza de Assis Moura, explicou que a inspeção ordinária - instaurada pela Portaria número 16 do CNJ - faz parte do calendário da Corregedoria.


“Por missão constitucional cabe à Corregedoria o papel de conhecer melhor o funcionamento dos Tribunais, as suas boas práticas e, se for o caso, recomendar alguma providência que seja destinada a melhoria e eficiência dos serviços. Serão cinco dias de muito trabalho e tenho certeza de que todos irão colaborar”, ressaltou.


O desejo do presidente do TJRJ, desembargador Henrique Carlos de Andrade Figueira, é de que a correição seja eficaz, profunda e que apure tudo o que for necessário.


“Recebemos a Corregedoria do Conselho Nacional de Justiça para verificação de como está o nosso Tribunal de Justiça. A inspeção ordinária vai retratar a atual situação e apontar eventuais falhas para que possamos corrigi-las e, assim, melhorarmos o nosso serviço, promovendo um serviço jurisdicional mais eficaz”, contou o presidente do TJRJ.


O corregedor-geral da Justiça do Estado do Rio de Janeiro, desembargador Ricardo Rodrigues Cardozo, reforçou que o Tribunal do Rio está pronto para prestar todas as informações necessárias para o sucesso da inspeção.


“É uma inspeção ordinária, mas não deixa de ser uma parceria. O CNJ vem com o propósito de oferecer uma visão externa e, com isso, nos fornecer subsídios para melhorias, correção de caminhos e contribuir para a o aprimoramento das nossas atividades”, disse o corregedor-geral.


Noventa e sete unidades serão visitadas


Coordenador da inspeção, o desembargador Carlos Vieira Von Adamek, explicou a escolha das unidades que serão visitadas.


“As 97 unidades foram definidas exclusivamente com base nos números fornecidos pelo próprio Tribunal, já que não é possível fazer uma inspeção que abarque todas as unidades. Estamos na 14ª inspeção desta gestão. Infelizmente, a pandemia nos atrasou, já que ficamos um bom tempo impossibilitados de realizar as visitas”, contou o coordenador.

A mesa de abertura da inspeção do CNJ contou também com a presença do 1º vice-presidente do TJRJ, desembargador José Carlos Maldonado de Carvalho; do 2º vice-presidente do TJRJ, desembargador Marcus Henrique Pinto Basílio; do desembargador Luís Paulo Aliende Ribeiro (TJSP); e da desembargadora Márcia Regina Dalla Déa Barone (TJSP).


IA/MB

Fonte: TJRJ


Foto: Brunno Dantas/TJRJ